DESTAQUES
Pesquisar

Filme "Paulina" traz à tona o debate sobre a “cultura do estupro”

O filme estreia no dia 16 de junho com distribuição da Esfera Filmes.

"Paulina" é um remake do longa argentino "La Patota" (1961), dirigido por Daniel Tinayre, e acompanha a história de uma professora, chamada Paulina, que foi violentada por um grupo de rapazes. Com direção de Santiago Mitre (Abutres), o filme foi o vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes e da Mostra Horizontes Latinos no Festival de San Sebastián em 2015. No Brasil, a produção foi exibida na 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Segundo o diretor, ele só assistiu a versão original quando foi convidado para desenvolver esta adaptação. “Vi o filme uma vez e decidi nunca mais assisti-lo: uma vez fora o suficiente. Havia algo no personagem de Paulina que me deu um estalo, me colocou em apuros. No início, tentei compreendê-la, e logo percebi que era impossível, que não tinha que entender Paulina, e que justamente aí estava o que me interessava nessa história."

Mitre ainda disse que "Paulina é movida por uma força de sobrevivência que beira o irracional e essa força é o que move o filme, que nos arrasta junto com ele. A versão original trabalhava com uma ideia do perdão através de parâmetros morais e religiosos. Para mim, a religião não interessa, mas percebi que poderia trabalhar com os temas do filme em outra perspectiva, e tentar construir uma fábula política, onde a convicção estivesse no centro." 

A atriz Dolores Fonzi (O Crítico), que interpreta Paulina, tem sido elogiada por sua atuação pela crítica especializada. Para escrever a cena de violência o diretor conversou com diversas mulheres que trabalham dando assistência psicológica a mulheres vitimas de violência. 


PAULINA
(La Patota)
de Santiago Mitre
com Dolores Fonzi, Oscar Martínez, Esteban Lamothe, Cristian Salguero
Argentina, Brasil - 2015 - 103min 

Sinopse: Depois de estudar e se formar em Direito na cidade de Buenos Aires, Paulina retorna a sua cidade, Posadas, na divisa entre Argentina e Paraguai. Apesar de ter uma carreira promissora pela frente, escolhe dedicar-se à atividade social: voltar a sua terra, e cuidar dos problemas da população.



nanomag

Publicitária, cinéfila e blogueira nas horas vagas. Vivo em Curitiba, sou formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda e membro da Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos.


0 comentários on “Filme "Paulina" traz à tona o debate sobre a “cultura do estupro”

    Sua opinião é muito importante!