DESTAQUES
Pesquisar

Alfred Hitchcock - Há 36 anos o cinema perdeu o mestre do suspense

Alfred Hitchcock é considerado o "mestre dos filmes de suspense". A seguir, conheça um pouco mais sobre a história do cineasta.
No dia 29 de abril de 1980, na cidade de Los Angeles, morria Alfred Hitchcock - um dos meus cineastas favoritos! Mesmo várias décadas depois de seu falecimento, seus filmes ainda fazem sucesso, como "Janela Indiscreta" (Rear Window), "Psicose" (Psycho), "Disque M Para Matar" (Dial M For Murder), "Intriga Internacional" (North by Northwest), "Os Pássaros" (The Birds) e "Um Corpo que Cai" (Vertigo).

Para homenagear o mestre do gênero de suspense, quero compartilhar um pouco da história de Hitchcock, desde seus primeiros trabalhos no cinema britânico, período onde recebeu a oportunidade de conhecer diretores influentes, até seus maiores sucessos em Hollywood.


HISTÓRIA
O cineasta nasceu em 1899, na cidade de Londres. Ele começou a se interessar pela Sétima Arte quando trabalhava na empresa Henley Telegraph & Cable Company. Mais tarde, conseguiu emprego num estúdio londrino, chamado Famous Players-Lasky Company, e foi convidado para colaborar no filme "Always tell your wife". Seu segundo longa, "Os Jardins dos Prazeres" (The Pleasure Garden), marcou o início de sua carreira como cineasta, aos 26 anos de idade.


De formação católica jesuítica, Hitchcock levou para o cinema preocupações trazidas da infância: culpa, pecado, medo, assim como atração e repulsa pela sexualidade. Dizia que a técnica nunca deveria se impor ao enredo, mas, sim, colocá-lo em evidência.

Desde 1926, Hitchcock começou a praticar o gênero que o tornaria mundialmente conhecido: o suspense. Neste ano, ele dirigiu o longa "The Lodger", que mostra a história de uma família que desconfia que seu inquilino seja Jack, o Estripador. Aproveitando o sucesso, o cineasta começou as filmagens de "The Ring". Com este filme, ele se tornou um dos diretores mais conhecidos da Inglaterra e deu início ao seu caminho para a fama internacional. 

Em 1933, Hitchcock iniciou seus trabalhos nos estúdios Gaumont-British Picture Corporation. Um ano depois, ele lançou seu primeiro filme pela companhia, "O Homem que Sabia Demais" (The Man Who Knew Too Much) - que ganhou uma refilmagem em 1956.
 

Já o seu segundo filme pela companhia, "Os 39 Degraus" (The 39 Steps), foi considerado o melhor deste período. Neste projeto, Hitchcock utilizou pela primeira vez uma técnica chamada de MacGuffin:  um termo usado para inserir um elemento que serve de pretexto para avançar na história, mas sem receber destaque no conteúdo da mesma. Por exemplo, o MacGuffin de "Psicose" (Psycho) é o dinheiro roubado do patrão, que apenas serviu para conduzir Marion Crane até o Bates Motel.

Foi nessa fase que Hitchcock estabeleceu algumas inovações que caracterizaram seu estilo, uma delas é a introdução de um recurso de roteiro que virou uma de suas marcas registradas, ou seja, o personagem inocente que é perseguido ou punido por um crime que não cometeu. 

Em 1939, já famoso pelos projetos, o cineasta foi convidado para trabalhar em Hollywood, onde lá estreou com "Rebeca - A Mulher Inesquecível" (Rebecca), vencedor do Oscar de Melhor Filme. Este foi o único filme do diretor a ganhar o prêmio da Academia nessa categoria. Três anos depois, realizou o filme "A Sombra de uma Dúvida" (Shadow of a Doubt), que foi rodado em preto-e-branco e é considerado um exemplar do que ficou sendo chamado de film noir. Curiosidade: o próprio Hitchcock teria declarado que era um dos seus projetos preferidos. 



Na indústria hollywoodiana, Hitchcock viu a possibilidade de explorar todas as suas fantasias e de ganhar autonomia dentro dos principais estúdios de cinema dos Estados Unidos. Mas ele levou alguns anos para conquistar o público norte-americano, onde era considerado como apenas um cineasta técnico. Sua importância foi reconhecida pela crítica francesa em 1954, quando a revista Cahiers du Cinema dedicou-lhe toda a edição de número 39.

Os trabalhos mais aclamados da carreira de Hitchcock foram realizados entre os anos de 1954 e 1963. Nessa época uma série de obras-primas o tornaram um dos principais cineastas de todos os tempos: "Janela Indiscreta" (Rear Window), "Um Corpo que Cai" (Vertigo), "Psicose" (Psycho), "Os Pássaros" (The Birds), entre outros.

Décadas após sua morte, essas obras continuam recebendo remakes e influenciando gerações de roteiristas e diretores.



nanomag

Publicitária, cinéfila e blogueira nas horas vagas. Vivo em Curitiba, sou formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda e membro da Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos.


1 comentário on “Alfred Hitchcock - Há 36 anos o cinema perdeu o mestre do suspense

    1. Um talentoso gênio do cinema.Sabia como ninguém contar grandes história,surpreender o público e também respeitava-o.Surpreendente.Criou grandes técnicas de câmera.

      ResponderExcluir

    Sua opinião é muito importante!