DESTAQUES
Pesquisar

Mostra em homenagem aos 80 anos de Zé do Caixão

Confira abaixo a programação completa!
Não existe nada mais sinistro do que uma sexta-feira 13 e é neste clima de suspense que o Canal Brasil vai homenagear os 80 anos do mestre do terror brasileiro: Zé do Caixão. Mas antes de mudar o rumo do cinema nacional, José Mojica Marins nasceu justamente em uma sexta-feira, dia 13 de março de 1936.

Desde a década de 1960, ele dá vida ao lendário coveiro Zé do Caixão, que vaga à procura de uma mulher superior, capaz de lhe dar o tão sonhado herdeiro perfeito. Dotado de chapéu, capa negra, barba e unhas enormes, o homem impiedoso não descansa enquanto não alcançar seu objetivo.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA MOSTRA

Encarnação do Demônio (2008) (91’) Direção: José Mojica Marins – Após 30 anos longe da direção, José Mojica Marins volta às telas com o célebre personagem que o consagrou, Zé do Caixão. Protagonizado e dirigido por Mojica, Encarnação do Demônio encerra uma trilogia iniciada com "À Meia-noite Levarei Sua Alma" (1964) e "Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver" (1967). O longa-metragem traz as participações de Zé Celso Martinez Corrêa e Jece Valadão – falecido durante as filmagens –, além de elenco formado por Milhem Cortaz, Adriano Stuart, Rui Rezende, Cristina Aché, Helena Ignez, Débora Muniz, Thais Simi e Cléo De Páris.


Josefel Zanatas (José Mojica Marins), o Zé do Caixão, viveu 10 anos na ala de saúde mental da penitenciária estadual. De volta às ruas e acompanhado do fiel serviçal, o corcunda Bruno (Rui Rezende), refugia-se em um esconderijo subterrâneo. Ele está decidido a encontrar a mulher certa para gerar seu herdeiro perfeito, submetendo as candidatas, todas sensuais e corajosas, a rituais canibalísticos e mutilatórios entre vermes, baratas e defuntos. Retornando ao trabalho como agente funerário, é acusado de trazer má sorte à vizinhança. As almas de suas vítimas passam a atormentá-lo, jurando atrapalhar seus planos em pesadelos cada vez mais frequentes.

Domingo, dia 13/03, à meia-noite.

À Meia-noite Levarei Sua Alma (1964)
(82’) Direção: José Mojica Marins – Dirigido e estrelado por José Mojica Marins, o filme foi o primeiro do personagem Zé do Caixão. A obra faturou os prêmios Tela Fantástica e Tiers Monde da imprensa mundial na III Convenção de Cinema Fantástico (França) em 1974 e o Prêmio Especial no Festival Internacional de Cine Fantástico e de Terror Sitges (Espanha) no ano anterior.
 

O coveiro Zé do Caixão (Mojica) apresenta um comportamento sádico e cruel. Seu objetivo é conseguir gerar um filho perfeito, não hesitando em assassinar as mulheres e os homens que involuntariamente impedem a concretização de seu desejo. Assim, desperta o ódio dos moradores de uma pequena cidade. Ao saber da infertilidade de sua esposa, ele procura uma substituta: a namorada de seu amigo. Após ser violentada por Zé, a moça jura cometer suicídio para retornar dos mortos e levar a alma daquele que a desgraçou. A saga tem continuidade no título "Esta Noite Encarnarei no Seu Cadáver" (1967).

Domingo, dia 20/03, à meia-noite.

Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver (1967) (109’) Direção: José Mojica Marins – O título é considerado um clássico do horror nacional, com direção e atuação do protagonista José Mojica Marins. 


Após sobreviver a um ataque sobrenatural no final de "À Meia Noite Levarei Sua Alma" (1964), o coveiro Zé do Caixão continua sua busca obsessiva pela mulher ideal capaz de gerar o filho perfeito. Com a ajuda do fiel criado, ele rapta seis belas moças, submetendo-as a terríveis sessões de tortura. Aquela que mostrar mais coragem e sobreviver será eleita progenitora. No entanto, ele comete um crime imperdoável ao assassinar uma jovem grávida. Atormentado pela culpa, tem um terrível pesadelo no qual é levado para um inferno gelado, onde reencontra suas vítimas.

Domingo, dia 27/03, à meia-noite.

O Estranho Mundo de Zé do Caixão (1968) (81’) Direção: José Mojica Marins – Produzida e assinada por José Mojica Marins, a obra é uma compilação de três contos de horror: "O Fabricante de Bonecas", "Tara" e "Ideologia". A canção-título foi escrita pelo próprio diretor, sendo interpretada por Edson Lopes e o grupo de samba Titulares do Ritmo. No elenco, além do cineasta, estão Vany Miller, Veronica Krimann, Paula Ramos, Esmeralda Ruchel, Luís Sérgio Person e Mário Lima.

Em "O Fabricante de Bonecas", marginais invadem a casa de um velhinho e descobrem o segredo da confecção de suas bonecas, cujos principais detalhes são os olhos realistas. Já "Tara" retrata um pobre vendedor de balões obcecado por uma garota que ele segue nas ruas, só conseguindo possuí-la após a morte. Em Ideologia, o excêntrico professor Oaxiac Odéz (José Mojica Marins) enfrenta um rival e tenta provar que o instinto prevalece sobre a razão, com direito a fortes doses de canibalismo e sadomasoquismo.

Domingo, dia 03/04, à meia-noite.

O Despertar da Besta (1969) (93’) Direção: José Mojica Marins – Inicialmente batizado de Ritual dos Sádicos e gravado no final da década de 1960, a obra foi vetada pela censura da época. Narcóticos, sexo e delírios do personagem Zé do Caixão: tudo isso está presente na trama, considerada uma das mais radicais da carreira de Mojica. O longa trabalha de forma metalinguística e reflete, dentro da mesma narrativa, questões externas e internas. Com estilo de cinema experimental, o filme foi relançado e renomeado em 1983.


De forma não linear, a história aborda testes feitos por um psiquiatra utilizando LSD a fim de estudar os efeitos provocados pela macabra imagem de Zé do Caixão. O resultado combina perversão e sadismo em diferentes delírios. A interpretação rendeu o prêmio de melhor ator para José Mojica e melhor roteiro no Rio Cine Festival, em 1986.

Domingo, dia 10/04, à meia-noite.

Delírios de um Anormal (1978) (84’) Direção: José Mojica Marins – Placa de Prata no Festival de Brasília de 1978, o filme compila partes de quatro obras de Mojica: "O Despertar da Besta" (1969); cenas não aproveitadas de "Exorcismo Negro" (1974); e trechos em preto e branco de "Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver" (1967) e "O Estranho Mundo de Zé do Caixão" (1968) tingidos de cores diversas. Para montar o roteiro, Mojica filmou cerca de 35 minutos com passagens novas, acrescentando elementos à trama.


Dr. Hamílton (Jorge Peres) é um psiquiatra aterrorizado por pesadelos nos quais Zé do Caixão tenta roubar sua esposa, a bela Tânia (Magna Miller). Seus colegas médicos decidem buscar ajuda com o cineasta José Mojica Marins, que tenta fazer Hamílton compreender que Zé do Caixão é apenas um personagem e não passa de uma criação de sua mente.

Domingo, dia 17/04, à meia-noite.



nanomag

Publicitária, cinéfila e blogueira nas horas vagas. Vivo em Curitiba, sou formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda e membro da Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos.


0 comentários on “Mostra em homenagem aos 80 anos de Zé do Caixão

    Sua opinião é muito importante!