DESTAQUES
Pesquisar

Festival de Cannes 2015 - Confira os destaques dos dias 16, 17 e 18 de maio

Confira aqui quais são os 15 filmes de destaque do Festival de Cannes 2015.
A 68ª edição do Festival Internacional de Cinema de Cannes acontece entre os dias 13 e 24 de maio. Durante os três primeiros dias, os filmes que passaram pelo festival foram muito elogiados pela crítica internacional. Foi o caso de "Tale of Tales" e "The Lobster", mas o grande favorito à Palma de Ouro é o drama húngaro "Son of Saul". 

Fora da competição o festival também apresentou o novo filme de Woody Allen, "O Homem Irracional", e "Mad Max: Estrada da Fúria", com Charlize Theron e Tom Hardy. Abaixo, você pode conferir um resumo diário com os destaques de cada dia do Festival de Cannes: 16, 17 e 18 de maio.


#Dia 16

The Sea of Trees

Em competição, Gus Van Sant participou da coletiva de imprensa após a exibição de "The Sea of Trees". Ao seu lado estavam Matthew McConaughey e Naomi Watts, que interpretam um casal em crise no filme. 

Na trama, a floresta Aokigahara é famosa por ter um alto índice de suicídios. Dois homens, o americano Arthur Brennan (Matthew McConaughey) e o japonês Takumi Nakamura (Ken Watanabe), vão até lá com este pensamento, mas acabam iniciando uma jornada de reflexão e sobrevivência mata adentro.

O filme foi exibido em duas sessões e foi vaiado pela plateia de Cannes. A crítica e os jornalistas não pouparam a equipe do filme durante a coletiva. "The Sea of Trees" é considerado o pior filme da competição até agora - o crítico do The Guardian chegou a classificar o filme como "entediante".


Mia Madre

Nanni Moretti retorna ao festival após o longa "Habemus Papam", que participou da competição em 2010. O cineasta italiano e o elenco de seu novo filme foram entrevistados pelos jornalistas na tradicional coletiva de imprensa. Na trama, uma diretora de cinema está preparando um filme com um grande astro americano. Enquanto enfrenta os problemas de produção, tem que lidar com a filha rebelde e com a mãe doente. 

O filme está competindo pela Palma de Ouro e arrancou lágrimas da plateia em Cannes. Misturando fantasia e realidade, como muitas vezes ocorre nas produções de Moretti, o filme evoca as dores profissionais da cineasta, forçada a lidar com o ego do astro americano de seu filme, interpretado por John Turturro.

Foi durante a produção de "Habemus Papam", que a própria mãe do cineasta, professora de literatura clássica, como no filme, faleceu. Quando os jornalistas perguntaram se "Mia Madre" foi uma maneira de superar o luto, Moretti respondeu: "Para diretores e atores, o cinema não tem papel terapêutico. Para alguns espectadores pode ser".


A Tale of Love and Darkness
Natalie Portman volta ao festival com seu primeiro filme como diretora. Fora da competição principal, "A Tale of Love and Darkness" foi exibido em uma sessão especial e concorre para à Caméra d’or.

A trama acontece durante a guerra em Jerusalém, enquanto um garoto cresce em um apartamento lotado de livros dos mais diferentes idiomas. Aos doze anos de idade, sua mãe comete suicídio, mudando para sempre a vida da família. Após a tragédia, ele entra para um kibbutz, muda seu nome e começa a trabalhar como escritor, participando ativamente da vida política do país.
 
Filmado inteiramente em hebraico, o filme é a adaptação do best-seller de Amos Oz, publicado em 2004. Portman foi transportada por este livro sobre o exílio e as suas consequências: “Ouvi tantas histórias sobre os meus avós. A relação deles com os livros, a aprendizagem de uma nova língua – o hebraico – a relação deles com Israel e a Europa. Senti algo familiar que decidi explorar”.

#Dia 17

Carol

O filme de Todd Haynes foi apresentado em competição na noite de domingo. As atrizes Cate Blanchett e Ronney Mara, os produtores Christine Vachon, Elizabeth Karlsen e Stephen Woolley, bem como a roteirista Phyllis Nagy, e o diretor da fotografia Edward Lachman também participaram da coletiva de imprensa.

O filme é uma adaptação da obra de Patricia Highsmith e mostra uma história de romance entre duas mulheres, na década de 50. Há dois anos, Cannes entregou a Palma de Ouro ao filme "Azul é a Cor Mais Quente", mas o filme de Haynes não tem nada a ver com o realismo cru de Abdellatif Kechiche.

"Ao final do filme, as duas mulheres são muito diferentes do que eram no início", ressaltou Todd Haynes na coletiva de imprensa. Cate Blanchett também aproveitou para comentar sobre seus inúmeros relacionamentos com mulheres, conforme divulgado pela revista Vanity Fair. "Na minha memória, perguntaram-me se eu tive relações com mulheres e eu disse 'sim, muitas vezes. Mas se você quer dizer de relações sexuais com mulheres, a resposta é não'. Mas isso não foi impresso".

 
Mon Roi

Fortalecida pelo sucesso do longa "Polissia" (vencedor do Prêmio do Júri em 2011), o novo filme de Maïwenn é uma aposta artística. Sem ser autobiográfica, esta história  complexa explora o amor entre Tony e Georgio. "Mon Roi" também é o quarto longa realizado por Maïwenn, cujo roteiro foi elaborado juntamente com Etienne Comar.  

Na coletiva de imprensa do filme, a cineasta revelou que Emmanuelle Bercot foi sua primeira e única opção para o papel principal. Ela também acrescentou que não poderia ter realizado "Mon Roi" sem a presença da atriz. Por outro lado, Bercot sentiu-se extremamente intimidada pela grande expectativa de Maïwenn e hesitou em participar do projeto.

“Mon roi” é um dos poucos filmes dirigidos por mulheres na mostra competitiva e chegou a receber um grito “nepotismo” de alguém na plateia, sendo acusado de estar na competição apenas por ser um filme francês. As primeiras críticas são mistas, mas os elogios aos protagonistas, Emmanuelle Bercot e Vincent Cassel, são unânimes. Com atuações intensas e emocionantes, Bercot está avassaladora, enquanto Cassel entrega a melhor atuação de sua carreira.


#Dia 18

Inside Out

A segunda-feira começou com a coletiva de imprensa da animação "Inside Out" (Vice Versa). Fora da competição, o filme é dirigido por Pete Docter ("Up - Altas Aventuras"). O cineasta falou com os jornalistas sobre os cinco personagens encarregados de controlar as emoções de Riley, uma menina de 11 anos em plena crise de adolescência.

Louder than Bombs
A história segue uma fotógrafa que precisa lidar com a reação de sua família à descoberta de um segredo de seu passado enquanto prepara uma grande retrospectiva de sua premiada carreira. O longa é dirigido por Joachim Trier, que retorna ao festival após o melancólico "Oslo,  31 de Agosto" - selecionado para a mostra Un Certain Regard, em 2011.

"Louder than Bombs" é o terceiro filme do cineasta, que examina novamente a alma dos seus protagonistas. O elenco conta com Isabelle Huppert, Jesse Eisenberg, Amy Ryan, Gabriel Byrne e David Strathairn.


Confira mais imagens do festival:




nanomag

Publicitária, cinéfila e blogueira nas horas vagas. Vivo em Curitiba, sou formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda e membro da Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos.


0 comentários on “Festival de Cannes 2015 - Confira os destaques dos dias 16, 17 e 18 de maio

    Sua opinião é muito importante!