DESTAQUES
Pesquisar

Resenha: Oscar Isaac e Jessica Chastain são as estrelas do filme "O Ano Mais Violento"


O terceiro filme de J. C. Chandor, que também escreveu e dirigiuMargin Call – O Dia Antes do Fim” e “Até o Fim”, é um thriller ambientado nas ruas de Nova York, em 1981: o ano mais violento na história da cidade (estatisticamente falando). 
If I can make it there, I’ll make it anywhere” é o famoso trecho da música "New York, New York", mas também resume o espírito de “O Ano Mais Violento” (A Most Violent Year). O filme trata com muita franqueza o que é aceitável na luta pela sobrevivência e pelo sucesso. Aqui, a liderança apresenta conflitos de vida ou morte.

“O Ano Mais Violento” é intenso, corajoso e obscuro, mas é um filme que não agradará grandes plateias, prova disso é sua ausência nas indicações ao Oscar em 2015. Ele foi feito para um público maduro e, mesmo com suas restrições, é a verdadeira comprovação do talento cinematográfico de Chandor e do ator Oscar Isaac, que entrou para a liga dos melhores da atualidade.

Das margens do Brooklyn, é possível ver a ilha de Manhattan. Para Abel Morales (Oscar Isaac), esse tipo de sucesso continua sendo um sonho distante, mas ele está fazendo mais progressos do que a maioria dos concorrentes. Abel dirige uma empresa com sua esposa, Anna (Jessica Chastain), responsável pelas finanças.

Mas com o sucesso do negócio, a companhia é atingida por uma onda de assaltos e Abel está convencido de que trata-se da obra de um dos seus rivais. Sob a mira de um procurador determinado (David Oyelowo), que possuiu um grande interesse nas contas da empresa, é Abel quem é considerado o criminoso da história aos olhos da justiça.

É perigoso subestimar o Sr. e a Sra. Morales. Oscar Isaac e Jessica Chastain formam uma equipe dos sonhos, demonstrando uma química incrível como Abel e Anna, o casal que mistura negócios com prazer. Em uma cena fantástica, eles atropelam um animal a caminho de casa. Enquanto Abel decide qual será sua atitude, Anna é rápida e acaba com o sofrimento do animal, disparando alguns tiros com sua pistola.

Oscar Isaac é inteligente e mantém um ar de mistério. No início, você fica em dúvida se Abel é uma espécie de jovem gangster, mas, ao decorrer do filme, o espectador acaba capturando a essência do personagem. Isaac ganhou seu espaço em Hollywood, é uma verdadeira estrela de cinema. Durante todo o filme, o espectador sente-se atraído por ele, em nenhum momento sua atenção é desviada da tela.

Enquanto Isaac trabalha seu charme de conquistador americano, Jessica Chastain demonstra personalidade, poder e muita classe em seu retrato de Anna. Chastain também está no mesmo nível de Isaac. Sua personagem é uma leoa e está sempre pronta para dar uma lição no marido por sua falta de ousadia na hora de proteger os negócios e a família.

O roteiro de Chandor não distribuiu igualitariamente os pesos entre Isaac e Chastain, mas ambos tiveram seus momentos de destaque. Você sentirá falta de Jessica Chastain toda a vez em que sua personagem sai de cena, pois ela é brilhante. Também é difícil aceitar a ausência de Chastain nas indicações ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante.

Aqui, o sucesso é ainda mais assustador do que o fracasso. J.C Chandor controla as demonstrações de violência de Abel, o que pode parecer um erro à primeira vista, mas é a estratégia adequada para essa história. A relação do personagem com o sucesso é baseada “no caminho mais certo”, como ele mesmo explica ao procurador.  É preciso entender que o sucesso de Abel como gangster levaria à sua destruição como um homem.

A caracterização do ano mais violento de Nova York é sutil. Como Sidney Lumet, Chandor percorre as ruas da cidade com seus personagens, mostrando sua energia e determinação para escalar na vida, mesmo que as circunstâncias não sejam favoráveis. Em alguns momentos, o filme é tomado por um clima de solidão, onde a distância estabelecida pela direção não traz o mesmo nível de entusiasmo que um filme de Martin Scorsese apresentaria. 

“O Ano Mais Violento” não é uma novidade para o espectador. Existem muitos filmes sobre a corrupção nas grandes cidades e o sonho americano, mas J. C. Chandor explora esse universo com convicção e objetividade, lembrando ao espectador porque é tão importante superar as adversidades e conquistar o seu espaço no mundo com dignidade. 

Título original: A Most Violent Year
Ano: 2014
Direção: J.C. Chandor
Elenco: Oscar Isaac, Jessica Chastain, David Oyelowo, Alessandro Nivola e Albert Brooks.



nanomag

Publicitária, cinéfila e blogueira nas horas vagas. Vivo em Curitiba, sou formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda e membro da Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos.


0 comentários on “Resenha: Oscar Isaac e Jessica Chastain são as estrelas do filme "O Ano Mais Violento"

    Sua opinião é muito importante!