DESTAQUES
Pesquisar

Crítica: Mesmo Se Nada Der Certo (Begin Again)

SINOPSE: Gretta (Keira Knightley) e Dave (Adam Levine) são namorados de longa data e parceiros na composição de músicas. Quando ele consegue um contrato com uma grande gravadora em Nova York acaba deixando tudo para trás, inclusive Gretta. Mas a vida da jovem tem uma nova virada quando ela conhece Dan (Mark Ruffalo), um produtor musical falido que a vê cantando em um bar e se encanta com seu talento.
Com uma sinopse pouco atraente, ‘Mesmo se Nada Der Certo’ (Begin Again) conquista o nosso coração com uma ótima narrativa e grandes atuações. John Carney (Apenas Uma Vez) provou novamente a sua capacidade de transformar um tema extremamente conhecido em algo original. Ele tem um olhar preciso, consegue apresentar ângulos diferentes e mantém o espectador conectado ao filme. 

Após o prestigiado ‘Apenas Uma Vez’ (Once), podemos dizer que o novo filme de Carney possui a mesma base. A única diferença entre eles é o elenco espetacular presente aqui, mas essa é a graça de trabalhar com um orçamento generoso. Keira Knightley, Mark Ruffalo, Adam Levine, Hailee Steinfeld e Catherine Keener mostraram sintonia com a proposta de Carney.

O título original do filme era ‘Can a Song Save Your Life?’ e é exatamente isso que o roteiro trabalha. A maneira como Carney descreve as conquistas, os fracassos, as dores e alegrias é contagiante. ‘Mesmo se Nada Der Certo’ é uma verdadeira inspiração, é o tipo de filme que você quer dividir com as pessoas mais queridas.

‘Mesmo se Nada Der Certo’ mostra que a música é universal e tem o poder de unir as pessoas. O roteiro de John Carney é tão envolvente que o público não se preocupa em contestar essa ideia maluca, onde músicos gravam um álbum pelas ruas de Nova York, aproveitando todos os sons urbanos para fazer uma oposição aos materiais que ditam a moda. 

O filme é repleto de personagens que vivem pela música. Mark Ruffalo consegue ganhar a nossa simpatia como um produtor confuso, desiludido e à procura de um novo talento. Existe uma cena bem interessante no filme, onde o seu personagem escuta pela primeira vez a música de Gretta (Keira Knightley). Uma simples voz, acompanhada por um violão, em um bar decadente, se transforma em algo muito maior.

Agora, quem diria que Keira Knightley também sabe cantar? Na verdade, Scarlett Johansson foi a primeira escolha para interpretar Greta, mas ela acabou desistindo do projeto. Gostei muito da atuação de Knightley, ela deu vida a uma personagem pé no chão, generosa e que não liga para os padrões. Você consegue se aproximar dela, você ri com ela, chora com ela, torce por ela e quer ser amiga dela. Foi uma das melhores atuações da carreira de Knightley.

Para quem for assistir ao filme exclusivamente pela participação de Adam Levine, fique sabendo que são poucas as cenas em que o líder do Maroon 5 está presente. Hailee Steinfeld também provou que sabe escolher seus projetos e trabalhou muito bem ao lado de Mark Ruffalo. Só é uma pena que Catherine Keener não teve mais espaço.

A trilha sonora do filme é de Gregg Alexander, vocalista do New Radicals. Desta vez, Carney apostou em faixas suaves, mais próximas do gênero pop. Acredito que a trilha sonora do filme não fará o mesmo sucesso que ‘Apenas Uma Vez’ (Once) conquistou. Mas a grande beleza dessas músicas é que elas vão continuar encantando, mesmo após o lançamento do filme. 

A história é muito romântica, com o poder de levantar o astral até do espectador mais resistente. ‘Mesmo se Nada Der Certo’ foge de tudo o que conhecemos do gênero. Até o tão esperado final feliz, fórmula dos filmes água com açúcar, ganhou uma bela turbinada. O desfecho escrito por Carney é simples e celebra o poder da criatividade.

Talvez seja por isso que ‘Mesmo se Nada Der Certo’ é um sucesso. Carney não teve medo de trazer realismo para as cenas ou de apostar em um clima agridoce. Não existe elementos de fantasia neste filme, mas ele alimenta a ideia da terra dos sonhos norte-americana, onde tudo é possível, onde um talento é descoberto todos os dias e consegue ser compreendido, mesmo quando tudo aponta para um caminho diferente.



nanomag

Publicitária, cinéfila e blogueira nas horas vagas. Vivo em Curitiba, sou formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda e membro da Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos.


1 comentário on “Crítica: Mesmo Se Nada Der Certo (Begin Again)

    Sua opinião é muito importante!