DESTAQUES
Pesquisar

Crítica: Selvagens (Savages - 2012), um filme de Oliver Stone


"Savages" (2012) é o último lançamento do polêmico cineasta norte-americano Oliver Stone. O filme tenta fazer um paralelo entre as vidas privilegiadas de três californianos e a realidade de quem atua nos cartéis de drogas mexicanos.

A única reflexão que Savages causa na mente do espectador é o que diabos aconteceu com Oliver Stone? Responsável por grandes sucessos do cinema como Platoon (1986), Nascido em 4 de Julho (1991), Assassinos por natureza (1994) e Um domingo qualquer (1999), o cineasta norte-americano está entregando uma seqüência de filmes duvidosos. Seus maiores fracassos incluem Alexandre (2004), As Torres Gêmeas (2006), W. (2008) e Wall Street – O Dinheiro Nunca Dorme (2010). 

Estrelado por Blake Lively, Aaron Taylor-Johnson, Taylor Kitsch, Benício Del Toro, Demián Bichir, John Travolta e Salma Hayek, o filme segue a história de dois criadores de maconha, Ben e Chon, que vivem uma vida tranqüila no sul da Califórnia ao lado de Ofélia. Mas suas vidas começam a ser ameaçadas por um cartel de drogas mexicano, liderado por Elena, que deseja forçar uma parceria através de uma série de atos violentos e selvageria.

“Savages” é uma adaptação da obra de Don Winslow, ambientada na fronteira mais popular da América. Oliver Stone tentou estabelecer um contraste entre as realidades dos dois países vizinhos. Em um lado, o diretor nos apresenta um paraíso californiano caracterizado por imagens calorosas da praia e do relacionamento peculiar entre os protagonistas. Já no lado mexicano, Oliver Stone apresenta uma líder glamurosa, sem escrúpulos, que está sempre cercada de homens dispostos a torturar e mutilar qualquer um que atrapalhe o seu negócio.

Com 131 minutos de duração, “Savages” causa frustração na mente de qualquer amante do cinema. Regado de piadas prontas e violência desenfreada, o filme é uma das maiores decepções de 2012. É possível notar a impaciência clássica de Oliver Stone e a sua dificuldade em manter o foco, características que já renderam grandes críticas em projetos anteriores. O filme tenta ser muitas coisas ao mesmo tempo e acaba se tornando uma confusão desesperadora para os olhos atentos do espectador.

O elenco eclético também não consegue salvar o filme do mau caminho. Oliver Stone usa e abusa da imagem de Blake Lively, resultando em uma performance mais superficial do que a sua personagem no seriado Gossip Girl. As atuações de Aaron Taylor-Johnson e Taylor Kitsch estão fora de sintonia e não conseguem transmitir um sentimento de amizade e parceria para a tela. 

Salma Hayek foi muito bem escalada como a rainha do crime organizado, mas sua personagem é ridicularizada constantemente pelo roteiro e diretor. Resta comentar sobre a falta de charme nas atuações de Benício Del Toro e Demián Bichir. Dá pena só de sentir o desconforto no olhar dessas duas forças do cinema latino durante todo o filme. 

Oliver Stone entregou um filme sem alma e tão vazio quanto seus personagens. Os extremos da violência, do amor, da coragem e da ganância estão presentes em todas as cenas do filme. O desfecho de “Savages” nada mais é que o retrato da impaciência já mencionada anteriormente, onde Oliver Stone vive o momento mais confuso de sua carreira. A selvageria nunca foi tão tediosa.



nanomag

Publicitária, cinéfila e blogueira nas horas vagas. Vivo em Curitiba, sou formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda e membro da Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos.


3 comentários on “Crítica: Selvagens (Savages - 2012), um filme de Oliver Stone

    1. Há muito tempo coloquei Oliver Stone, e Steven Soderbergh, na minha lista de "desisto".

      ResponderExcluir
    2. "A única reflexão que Savages causa na mente do espectador é o que diabos aconteceu com Oliver Stone?"

      De fato. Será que ele vai conseguir se reerguer?

      Confesso que até estava gostando do filme... mas aquele papinho da narração em off (só pq estou contando essa historia não quer dizer que eu estava viva no fim) já foi um anuncio de que havia algo de errado.... o que se confirmou ao longo desses 131 minutos.

      ResponderExcluir

    Sua opinião é muito importante!