DESTAQUES
Pesquisar

Crítica: O Exótico Hotel Marigold (The Best Exotic Marigold Hotel - 2012)

Com 124 minutos de duração e um elenco exemplar, "O Exótico Hotel Marigold" é um banquete para quem aprecia o cinema britânico.
“O Exótico Hotel Marigold” (The Best Exotic Marigold Hotel) mostra a história de um grupo de aposentados britânicos que decidem terceirizar suas aposentadorias na exótica cidade de Jaipur, na Índia. Seduzidos por anúncios luxuosos do Hotel Marigold e pela promessa de uma vida de lazer, eles encontram um hotel antigo e precário, que necessita de muitas reformas para atingir o padrão de conforto em que estão acostumados. Embora o novo ambiente é menos luxuoso do que se imaginava, eles desbravam a Índia com todos seus defeitos e qualidades, compartilhando experiências e aprendendo a superar o passado.

No início, o filme mostra breves momentos da vida de cada personagem e suas motivações para realizar essa mudança de cenário. “O Exótico Hotel Marigold” narra uma jornada emocional, distribuída entre sete personagens principais, que são inteligentes, curiosos e engraçados. Eles crescem e encantam a cada cena, provando que a terceira idade é capaz de embarcar em uma aventura fantástica.

Evelyn Greenslade (Judi Dench) é uma viúva, que precisa vender seu imóvel na Inglaterra para pagar as dívidas deixadas pelo marido. Otimista e muito determinada, Evelyn narra o filme através de seu blog. Sua personagem é o foco principal do diretor John Madden (Shakespeare Apaixonado). Douglas e Jean Ainslie (Bill Nighy e Penelope Wilton) formam o único casal de aposentados do filme. Com uma atitude negativa, Jean detesta sua estadia na Índia e se recusa a deixar o hotel para explorar a cidade. Enquanto isso, seu marido visita os pontos turísticos e encontra a companhia da curiosa Evelyn. Madge Hardcastle (Celia Imrie) e Norman Cousins (Ronald Pickup) são dois solteirões em busca do amor na Índia e acabam freqüentando um luxuoso clube para conhecer novas pessoas.

Graham Dashwood (Tom Wilkinson) é um juiz da corte britânica, que cresceu em Jaipur e nunca retornou ao país. Gay “mais na teoria do que na prática”, ele busca localizar um amor perdido na Índia. Muriel Donnelly (Maggie Smith) é uma racista, xenofóbica e ex-governanta, que deixa a Inglaterra para conseguir uma cirurgia no quadril em um hospital indiano, que oferece condições mais econômicas para sua recuperação. Já o lado jovem do filme é representado pelo simpático Dev Patel, que interpreta o gerente do Hotel Marigold. Desesperado para obter lucro e realizar o sonho do seu falecido pai, Sonny cria uma imagem inexistente do hotel e cativa os corações de seus hóspedes, e de uma trabalhadora de call center.

“O Exótico Hotel Marigold” foi baseado no livro de Deborah Moggach, titulado These Foolish Things e a adaptação para o cinema foi realizada por Ol Parker (Imagine Eu e Você). O roteiro do filme é muito consistente e contagia o espectador com um grande nível de otimismo, mostrando que nunca é tarde para deixar sua zona de conforto e explorar novos horizontes. Em alguns momentos, ele abusa do sentimentalismo, utilizando estereótipos para vender a história dos personagens.

Com um elenco extenso e renomado, o roteiro conseguiu desenvolver as histórias de cada personagem e não deixou ninguém de lado. Com atuações competentes e emocionantes, os veteranos dão uma aula de atuação e dominam completamente o espírito do filme. Judi Dench, Bill Nighty e Tom Wilkinson esbanjam charme e fragilidade em suas aventuras, e demonstram uma química infalível. Penelope Wilton também destaca-se com sua performance amargurada e infeliz.

Cercada por um elenco poderoso, Maggie Smith é o grande acerto de “O Exótico Hotel Marigold”. Dona de uma personagem maldosa, ela entrega as falas mais cruéis do filme. Acredito que este papel é mais um presente na carreira da atriz – Smith vem arrancando elogios com o seriado “Downton Abbey”. Também vale a pena mencionar a atuação de Dev Patel. Ele pode ser um dos atores mais inexperientes do elenco, mas Patel esbanjou simpatia e provou que conhece os caminhos do drama e da comédia.

O filme conta com a direção de um veterano do cinema inglês, John Madden. O cineasta captura a fusão do velho e do novo com muita precisão, mantendo a atmosfera mágica que qualquer cidade "cartão postal" da Índia proporciona. Sem nenhuma oscilação de ritmo, acredito que Madden foi a escolha ideal para conduzir esse elenco renomado nas telas do cinema. Em resumo, “O Exótico Hotel Marigold” foi programado para exalar esperança, emoção e otimismo. Armado de um grande elenco e uma direção conservadora, o filme é um dos grandes e mais importantes lançamentos do cinema em 2012.



nanomag

Publicitária, cinéfila e blogueira nas horas vagas. Vivo em Curitiba, sou formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda e membro da Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos.


7 comentários on “Crítica: O Exótico Hotel Marigold (The Best Exotic Marigold Hotel - 2012)

    1. Perdi sua passagem pelo cinema, mas pretendo conferir logo quando chegar em DVD.

      http://avozdocinefilo.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
    2. Belo texto! Confesso que ainda não vi o filme, mas pretendo conferi-lo assim que chegar às locadoras. Por ora, fico com a ótima recomendação do PC.

      Abraços!

      www.lumi7.com.br

      ResponderExcluir
    3. Um filme que carrega no elenco nomes como Judi Dench, Tom Wilkinson, Maggie Smith e Bill Nighy (um de meus atores preferidos) sem dúvidas se torna um item de curiosidade para qualquer cinéfilo que se preze. O diretor John Madden se mostra eficiente, e entrega um filme agradável, que é uma brisa bem-vinda perto de produções cada vez mais barulhentas (no mal sentido). Pude conferir recentemente seu outro trabalho lançado há pouco, "The Debt", o qual me surpreendeu bastante pela qualidade. Me pergunto qual terá sido o motivo pelo qual uma obra doce como "Marigold" ter atingido os cinemas, enquanto o destino do a meu ver superior "The Debt" ter sido as video locadoras em nosso país. Grande abraço. Ótimo texto, parabéns.

      ResponderExcluir
    4. Mesmo com o excesso de sentimentalismo em algumas ocasiões que você cita no texto, achei o filme uma das grandes surpresas do ano. Gostei da história, me emocionei enfim é um belo filme que vale a pena conferir!

      ResponderExcluir
    5. Parabens, sua critica é excelente e o filme é mesmo otimo, sai do cinema em estado de graça.

      ResponderExcluir
    6. Sensível e bem humorado! Um filme maravilhoso!

      ResponderExcluir
    7. Baixar o Filme - O Exótico Hotel Marigold - http://mcaf.ee/wvni3

      ResponderExcluir

    Sua opinião é muito importante!