DESTAQUES
Pesquisar

Crítica: "Tudo Pelo Poder" (The Ides of March - 2011), um filme de George Clooney

George Clooney é uma das figuras mais interessantes de Hollywood. Um ator super carismático, bem humorado, envolvido em questões políticas e humanitárias. Ele sempre foi muito honesto a respeito de seus projetos e limitações artísticas, mas é impossível negar a bela transição de George Clooney para a direção.

Baseada na obra de Beau Willimon, "The Ides of March" discute os bastidores da disputa presidencial nos EUA, revelando situações que já ocorreram no cenário político americano: escândalos sexuais, corrupção, acertos políticos e principalmente, a atuação da equipe de comunicação e assessores dos candidatos à presidência.

George Clooney sempre abusa da objetividade em seus filmes e esta característica se repete em "The Ides of March". A direção é muito bem detalhada e consegue capturar o clima de traição e tensão presentes no roteiro. O filme foi construído com um olhar voltado ao eleitor americano, relatando (através do olhar do protagonista) com ingenuidade o que acontece dentro do ambiente político.

Para acabar com especulações políticas e pessoais feitas pela a mídia, George Clooney e Grant Heslov afirmam: o plano de fundo de "The Ides of March" pode ser
facilmente alterado para outros cenários. Traições e disputa por poder também poderiam ilustrar uma trama ambientada nos bastidores de Hollywood.

Em um ano exemplar, Ryan Gosling conseguiu conquistar a platéia através de uma atuação digna de uma indicação ao Oscar 2012. O espectador se vê envolvido nas reviravoltas de seu personagem e adquire uma empatia muito grande por ele. Em um papel secundário, George Clooney também domina seu personagem, deixando sua marca, sinônimo de elegância. O elenco ainda conta com as grandes presenças de Phillip Seymour Hoffman, Marisa Tomei, Evan Rachel Wood e Paul Giamatti.



nanomag

Publicitária, cinéfila e blogueira nas horas vagas. Vivo em Curitiba, sou formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda e membro da Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos.


6 comentários on “Crítica: "Tudo Pelo Poder" (The Ides of March - 2011), um filme de George Clooney

    1. O Ryan Gosling passa por uma transformação formidável ao longo desse filme, mas duvido que ele seja lembrado (se for, seria por Drive).

      E para mim, é um dos melhores do ano, que graças à escolha errada de data de lançamento nos Estados Unidos (certamente para não competir com Os Descendentes, com Clooney), vai acabar esquecido das premiações.

      ResponderExcluir
    2. Estou querendo ver esse filme há um bom tempo, mas é mais por Ryan Gosling, cujas atuações eu tenho admirado ao longo do ano.

      ResponderExcluir
    3. Ah, eu preciso falar que eu quero ver? Pelo visto, o filme irá conquista alguma coisa no Oscar...

      ResponderExcluir
    4. Mais um que estamos esperando estrear. Acho que vai ser um filme muito bom.

      ResponderExcluir
    5. Acabei de ver esse filme e adorei! Mas sabe de uma coisa? Mais de uma vez eu pensei que votaria no personagem de George Clooney. Não só por ser ele, mas pelas propostas completamente idealistas.

      ResponderExcluir

    Sua opinião é muito importante!