DESTAQUES
Pesquisar

Crítica: Um Método Perigoso (A Dangerous Method - 2011)

Sempre haverá muita expectativa com os projetos de David Cronenberg. O cineasta canadense é sinônimo de polêmica e ousadia com filmes que dividem platéias no mundo inteiro. Em sua terceira parceria com Viggo Mortensen, Cronenberg provou ser fiel aos atores que lhe agradam. Vincent Cassel também não é figurinha nova no livro do cineasta. Ambos trabalharam juntos no violento "Senhores do Crime".

"Um Método Perigoso" é uma das maiores decepções da última temporada do cinema. Muitos esperavam um filme complexo, com detalhes sobre o nascimento da psicanálise. Em troca, David Cronenberg tenta convencer o espectador com a história de um confuso triângulo amoroso. A história inicia-se quando o Dr. Carl Jung (Michael Fassbender) aceita tratar a perturbada Sabina Spielrein (Keira Knightley), usando o método do seu mestre, Sigmund Freud (Viggo Mortensen).

Com um roteiro repleto de obstáculos, o filme não consegue justificar os eventos que ocorrem, abrindo um enorme vazio entre os personagens. Michael Fassbender e Viggo Mortensen sentiram o peso da superficialidade do roteiro e ficaram encurralados em meio das emoções da personagem de Keira Knightley.

A atuação de Keira Knightley causa uma relação de amor e ódio com o espectador. É possível dizer que a atriz foi a grande privilegiada do filme, sua personagem possui muita liberdade criativa, mas, ao mesmo tempo, algumas expressões não transmitiram a veracidade que o papel exigia. 

Em um ano exemplar, Michael Fassbender disputou o papel de Carl Jung com Christoph Waltz e Christian Bale. O ator entregou uma performance muito controlada e não conseguiu brilhar dentro da história. Já Viggo Mortensen, conseguiu cativar a atenção da platéia dentro de um espaço minúsculo. A breve participação de Vincent Cassel, na pele do intrigante Otto Gross, foi a única performance que proporcionou alguma reflexão.

Tecnicamente, o filme é belíssimo e não há como questionar a capacidade artística de David Cronenberg, que entrega cenas de pura elegância cinematográfica. Mas é questionável a falta de uma trilha sonora mais intensa para marcar os principais momentos do filme e para valorizar a performance do elenco.

“Um Método Perigoso” é um filme que promete muito e parece estar à beira de revelar alguma coisa, mas nunca decola. O filme deixa a impressão que David Cronenberg quis manter distância do assunto tratado para atingir um público mais abrangente, mas o resultado não convence e é uma das razões que o filme não sentiu, nem de perto, o cheiro da maior premiação do cinema.

Veja a nossa resenha no site da Obvious.



nanomag

Publicitária, cinéfila e blogueira nas horas vagas. Vivo em Curitiba, sou formada em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda e membro da Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos.


9 comentários on “Crítica: Um Método Perigoso (A Dangerous Method - 2011)

    1. Nossa, pensei que seria infinitamente mais interessante, mas ainda quero ver!

      ResponderExcluir
    2. Estão criticando muito esse filme exatamente pelo roteiro, então estou com um pé mais atrás para ver. Mas estou esperando, quero ver como é que esse filme foi conduzido.

      ResponderExcluir
    3. Olá colega blogueiro. O Cronenberg é um dos melhores cineastas em atividade, mas é fato que muitas das monstruosidades "exteriores" da época de Videodrame e A Mosca converteram-se ao interior de suas personagens em trabalhos mais recentes, como Marcas da Violência e Senhores do Crime (dois filmaços). Este sobre os psicanalistas eu ainda não vi, mas devo dizer que, com The Artist, é o que mais estou esperando dessa nova safra. Grande abraço e volte sempre ao Saudades do Bom Cinema.

      ResponderExcluir
    4. Uma pena... Esperava que esse filme tivesse um papel importante no Oscar. Do jeito que está, nem Keira Knightley, que foi bastante elogiada pela performance neste filme, conseguirá uma indicação.

      ResponderExcluir
    5. Que pena sobre o roteiro, mas ainda irei conferir no cinema. Os recentes trabalhos de Cronenberg tem sido ótimos. Uma mudança radical para novos projetos e Viggo parece que encontrou o seu cineasta-fetiche.

      Abs.

      ResponderExcluir
    6. Muito obrigado pelo comentário no Cult Fiction!
      Não conhecia seu blog e gostei bastante!
      Você é de Curitiba também né? Coincidência (:
      Adicionei seu blog ao meu blogroll. Se puder fazer o mesmo, fico agradecido!
      Beijos

      ResponderExcluir
    7. Pena que não gostou tanto. Tenho boas expectativas ainda, o tema me interessa muito.

      ResponderExcluir
    8. Ola!!
      Retribuindo aqui seu comentário no meu blog! Adorei o blog tb, vou add ele nos meus favoritos...

      Um abraço!

      ResponderExcluir
    9. Muito obrigada pelos comentários e pela visita no blog.

      ResponderExcluir

    Sua opinião é muito importante!